Comprar casa em Lisboa já custa três vezes mais que no resto do país…

//Comprar casa em Lisboa já custa três vezes mais que no resto do país…

Os preços das casas em Portugal continuam a acelerar sem dar sinais de abrandamento. Lisboa é a cidade mais cara do país para comprar uma casa: a mediana de preços no município fixou-se nos 2.753 euros por metro quadrado (m2) no final do segundo trimestre de 2018, ultrapassando em mais de 1.500 euros o valor da mediana nacional, situada nos 969 euros por m2.

Segundo as Estatísticas de Preços da Habitação ao nível local, divulgadas esta terça-feira (30 de outubro) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), 38 municípios portugueses, localizados maioritariamente no Algarve e na Área Metropolitana de Lisboa, registaram preços acima da mediana nacional.

O preço mediano do metro quadrado alcançou os 969 euros em Portugal, o que representa um aumento de 2% em relação ao trimestre anterior e uma subida de 8,15%face ao segundo trimestre do ano passado. A capital voltou a conquistar o estatuto de cidade mais cara, com a mediana de preços a situar-se nos 2.753 euros por m2, um valor que representa um aumento de 23,4% face ao período homólogo. Feitas as contas comprar uma casa em Lisboa custa quase o triplo do que no resto do país.

Mas Lisboa não é a única a “acusar” a escalada de preços. O INE destaca ainda outras cidades com preços de venda bem acima da média nacional e com valores acima de 1.500 por m2, nomeadamente Cascais (2.100 euros/m2), Loulé (1.846 euros/m2 ), Oeiras(1.819 euros/m2 ), Lagos (1.744 euros/m2 ), Albufeira (1.631 euros/m2 ) e Tavira (1.594 euros/m2 ).

Três freguesias da capital superam os 3.500 euros por m2

A verdade é que os valores podem disparar tendo em conta a freguesia escolhida dentro do município de Lisboa. A de Santo António continua a ser mais cara, as casas foram vendidas nesta zona por um preço mediano de 4.105 euros por m2. Os preços medianos de venda também ultrapassaram os 3.500 euros nas freguesias da Misericórdia (3.894 euros/m2), que inclui a área do Bairro Alto e do Cais do Sodré, e de Santa Maria Maior(3.632 euros/m2), que inclui a área do Castelo e a Baixa/Chiado.

Apesar da freguesia de Santo António ser a mais cara, foi na das Avenidas Novas que os preços mais subiram: aumentaram 37,2% para 3.338 euros por m2. Segue-se Campolide, com um aumento homólogo de 36,9% no segundo trimestre, para os 2.633 euros por m2, e a Ajuda, onde os preços aceleraram para os 2.564 euros por m2.

Em resumo, os preços registaram subidas em todas as freguesias à exceção de Marvila, onde caíram 6,5%.

Fonte: Idealista